Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Inês Aroso - Escritora

Sempre sonhei ser escritora... Aqui, sou!

Inês Aroso - Escritora

Sempre sonhei ser escritora... Aqui, sou!

Não sei o que viste nele(a)!

25.08.19 | Inês Aroso | comentar
Quantas vezes já dissemos (ou pelo menos pensamos) nesta frase? Não só em relação aos outros, mas também em relação a nós mesmos, em relação a amores passados (ou presentes). É esse o problema do amor, não se explica em equações, não resulta de nenhuma (...)

Olhar infinito

02.08.19 | Inês Aroso | ver comentários (1)
Os olhos são o espelho da alma, diz a sabedoria popular. Não importa a cor, o formato, as dioptrias (eu, míope, me confesso) ou outros pormenores. Na verdade, o que interessa no olhar é aquilo que ele transmite. Medo, amor, desdém, maldade, inveja, bondade, alegria, (...)

O polvo sonâmbulo

02.08.19 | Inês Aroso | ver comentários (2)
Era uma vez um polvo sonâmbulo. Durante o Verão, todas as noites vagueava pela pequena vila onde morava e estendia os seus tentáculos pelas janelas abertas dos quartos dos habitantes. Garante quem o viu que só escolhia os quartos onde dormiam as mulheres mais bonitas, (...)

O voo dos amantes

29.07.19 | Inês Aroso | comentar
A aspereza dos dias não lhes roubara a doçura das almas. Os seus lábios tocaram. Era um beijo leve, mas sentido. Quente, mas refrescante. Luminoso, mas sem medo das sombras. E o que parecia uma brisa era, afinal, um vendaval de ternura. Sentiam-se num turbilhão de (...)

A última dança

16.06.19 | Inês Aroso | comentar
Naquela tarde, Alice sabia que era a última vez em que festejava algo. No fundo do coração, sentia isso, mas não queria admitir. Juntou as pessoas cujo amor e a amizade a faziam sentir feliz. Sentiu-se grata por amar e ser amada por aquelas pessoas maravilhosas. Mas (...)

O super-poder de Angélica

08.06.19 | Inês Aroso | comentar
Angélica acreditava nas pessoas. Duarte acreditava em factos. No dia em que se conheceram, Angélica acreditou que Duarte era um bom homem. Duarte acreditou que Angélica era gorda. Apesar desse facto, Duarte resolveu namorar com Angélica. Era um facto que precisava de (...)

Os cães ladram...

28.05.19 | Inês Aroso | comentar
... e a caravana passa. Mas isso é nos sítios vulgares. Ali, naquela terra perdida entre o norte o sul, o este e o oeste, entre a cidade e a aldeia, entre o silêncio e o barulho ensurdecedor, entre o passado e o futuro, não passam caravanas. Apenas se ouvem os cães a (...)

A lágrima solitária

27.05.19 | Inês Aroso | ver comentários (5)
Não era uma tarde igual às outras. Primeiro, uma lágrima escorregou-me pela face. Foi-se juntar a ela outra lágrima, que escorregou pela outra face. A lágrima não sabe ser sozinha. Eu também não. Sinto-me sozinha desde que a nuvem negra me cobriu. Há quem não (...)

Ângela, mãe a cores

05.05.19 | Inês Aroso | comentar
Ângela tem 41 anos, dois filhos, é casada. Quando a filha mais velha entrou na universidade, resolveu voltar a estudar. Como estava desempregada, para ajudar nas despesas, ficou a trabalhar em part-time na secção de limpeza da universidade da filha. Foi a vaga mais (...)